Provável alta de 25 pontos base da taxa Selic! Aumento do desemprego e otimismo da indústria cai pela terceira vez consecutiva.

São Paulo, 20 de Abril de 2011.

 

ECONOMIA & FINANÇAS

Provável alta de 25 pontos base da taxa Selic!  Aumento do desemprego e otimismo da indústria cai pela terceira vez consecutiva.

Por Thiago Flores*

           

O Comitê de Política Monetária (Copom) deverá elevar a taxa Selic em 25 pontos base na reunião de hoje, reduzindo o ritmo de subida dos juros em relação ao observado nas duas últimas reuniões (de 50 p.b.). Esse movimento levará a taxa Selic para 12,00% ao ano já que a atividade econômica já dá sinais de moderação, há uma apreciação cambial e a inflação corrente dá sinais de deterioração.

A taxa de desemprego atingiu o patamar de 6,5% em março, conforme divulgado pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do IBGE, demonstrando a expansão da população ocupada, que avançou 2,4% em relação a março do ano passado e a População Economicamente Ativa (PEA) com crescimento de 1,2%.

Segundo a CNI, os industriais brasileiros estão menos otimistas. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) recuou 0,8 ponto em abril na comparação com março e ficou em 59,7 pontos. Foi o terceiro mês consecutivo de queda do indicador, revela a pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), nesta terça-feira, 19 de abril. Na comparação com abril de 2010, o índice caiu 7,2 pontos. O ICEI varia de zero a cem. Valores acima de 50 indicam empresários confiantes.

O ICEI de abril ficou igual ao valor da média histórica da pesquisa e, pela primeira vez desde julho de 2009, o índice está abaixo de 60 pontos, podendo levar ao corte dos investimentos, a geração de empregos e a compra de matérias-primas, o que deve desacelerar ainda mais a produção industrial.

A pesquisa da CNI mostra que a queda no otimismo do empresariado em março ocorreu em todos os portes de empresa e em todas as regiões do país. As médias empresas tiveram o maior declínio, de 59,3 pontos em março para 58,1 pontos em abril. A região Norte, que registrou alta de fevereiro para março, teve a maior queda em abril na comparação com o mês anterior. O indicador da região foi de 64,2 pontos para 59,9 pontos no período.

 

*Thiago Flores é Administrador – EAESP-FGV, Mestre em Economia de Negócios – EESP – FGV, Mestre em Finanças – IBMEC/INSPER –SP, Consultor de empresas e CFO à FF Consult ®

www.ffconsult.com

ffconsult@ffconsult.com

twitter.com/FF_Consult

www.facebook.com/FFConsult

ffconsult.blog.com

www.youtube.com/user/FFConsult2011  

Autor: Thiago Flores - FF Consult

*Thiago Flores é Administrador – EAESP-FGV, Mestre em Economia de Negócios – EESP – FGV, Mestre em Finanças – IBMEC/INSPER –SP, Consultor de empresas e CFO à FF Consult ® www.ffconsult.com ffconsult@ffconsult.com twitter.com/FF_Consult www.facebook.com/FFConsult ffconsult.blog.com www.youtube.com/user/FFConsult2011