Produção chinesa atinge o topo do mundo. Bolsas da Ásia sobem!

São Paulo, 12 de Abril de 2011.

ECONOMIA & FINANÇAS

Produção chinesa atinge o topo do mundo. Bolsas da Ásia sobem!

Por Thiago Flores*

O volume em dólares da produção industrial chinesa em 2010 já é o maior do mundo, segundo levantamento da consultoria IHS Global Insight. Segundo o levantamento, as fábricas chinesas assumiram o primeiro lugar em uma área que estava sob liderança dos EUA por 110 anos.

A consultoria destaca que houve uma forte recuperação nos Estados Unidos em 2010, mas o crescimento acelerado na China e a valorização do iuan contra o dólar elevaram o valor nominal da produção chinesa para US$ 1,99 trilhão, portanto, acima do US$ 1,95 trilhão de valor produzido pelas fábricas americanas.

“Enquanto a indústria americana e de boa parte do mundo passaram por uma contração, principalmente em 2008, a da China continuou se expandindo. O setor industrial cresceu 18% (valor nominal, sem ser descontada a inflação) em dólares em 2010. Além disso, a valorização do iuan frente ao dólar impulsionou o valor da produção chinesa medido em moeda americana”, escreveram os autores do estudo.

Apesar da produção chinesa ter ultrapassado um marco histórico, a produtividade continua deixando a desejar. Para produzir um valor levemente superior ao verificado nos Estados Unidos, a China precisou de um número muito maior de trabalhadores.

Segundo os números apresentados pela IHS Global Insight, 11,5 milhões de trabalhadores do setor industrial americano produziram um pouco menos do que 100 milhões de trabalhadores chineses do setor.

O iene se desvalorizou e as bolsas de valores asiáticas fecharam em alta nesta quarta-feira, com investidores buscando oportunidades para apostar em ativos de maior risco após a forte queda do petróleo na véspera, que causou um desmonte de posições. O índice da região ásia-pacífico exceto o japão subiu 1,06%, puxado por ações de companhias tecnológicas.

Em tóquio, o índice nikkei fechou em alta de 0,9%. As ações da tokyo electric dispararam em meio a um forte volume de negócios, após a notícia de que a dívida vinda da crise nuclear do japão pode ser limitada. Outras companhias de serviços básicos perderam, pois podem ter de arcar com os gastos. O iene chegou a cair mais de 0,6% ante o dólar e o euro.

O petróleo subiu depois de cair cerca de 3%, com o foco do mercado voltando-se a preocupações sobre o fornecimento na líbia e a demanda futura nos estados unidos. O recuo dos preços de commodities causara uma redução na exposição a ativos como ações de mercados emergentes e moedas que registraram fortes ganhos recentemente, como o dólar australiano.

O índice de seul subiu 1,56%. Em hong kong, o mercado avançou 0,66%, e a bolsa de taiwan ganhou 0,55%, enquanto o índice referencial de xangai se valorizou 0,96%. cingapura encerrou em alta de 1,09%, e sydney fechou com ganho de 0,25%.

 

*Thiago Flores é Administrador – EAESP-FGV, Mestre em Economia de Negócios – EESP – FGV, Mestre em Finanças – IBMEC/INSPER –SP, Consultor de empresas e CFO à FF Consult ®

www.ffconsult.com

ffconsult@ffconsult.com

twitter.com/FF_Consult

www.facebook.com/FFConsult

ffconsult.blog.com

www.youtube.com/user/FFConsult2011  

Autor: Thiago Flores - FF Consult

*Thiago Flores é Administrador – EAESP-FGV, Mestre em Economia de Negócios – EESP – FGV, Mestre em Finanças – IBMEC/INSPER –SP, Consultor de empresas e CFO à FF Consult ® www.ffconsult.com ffconsult@ffconsult.com twitter.com/FF_Consult www.facebook.com/FFConsult ffconsult.blog.com www.youtube.com/user/FFConsult2011