O Preço de Uma Empresa

Quanto Vale Uma Empresa? Como Avaliar o Preço de Uma Organização? Que Métodos Podem Ser Utilizados Para Calcular o Valor de Uma Companhia?

 

 

Nos últimos anos o Brasil vem presenciando uma enorme onda de fusões e aquisições de empresas estimuladas pela competitividade entre elas e, muitas vezes, pelo próprio governo interessado em formar grandes corporações a fim de competir nesse mercado cada vez mais globalizado. Dessa forma, a avaliação de empresas vem desempenhando um papel cada vez mais importante no mundo dos negócios, pois se trata de um processo complexo que combina análise estratégica e modernas teorias financeiras.

Embora seja complexo, o processo de avaliar o valor das empresas oferece algumas utilidades, pois ele serve de referencial durante a negociação e justifica uma eventual oferta do negócio. Além disso, esse processo também identifica oportunidades de investimentos porque ele analisa a relação entre o valor da ação da empresa e seu valor intrínseco. Os métodos de avaliação de empresas são regidos por critérios de fixação de valor e podem ser classificados em:

1) Método Financeiro: É o método mais utilizado para fusões, aquisições, permuta de ações e recuperação de ativos registrados nos lançamentos contábeis. Parte da premissa de que o valor da organização depende da sua capacidade de gerar lucros futuramente e, tal valor, pode ser dividido em Valor Presente do Fluxo de Caixa e Valor Residual (que é o valor que se espera obter com a venda da companhia no final desse período). Esse processo inclui:

A) Relação Estratégia / Valor: Esse método demonstra a origem do valor criado pela estratégia que a organização adotou para atingir seus objetivos, os quais podem ser classificados em medidas de “retorno econômico”, “crescimento” e “risco”.

B) Cálculo da Taxa de Desconto: Para calcular o valor presente do Fluxo de Caixa é necessário estimar o custo médio ponderado do capital em função da estrutura financeira da organização. As fontes de financiamento são o capital próprio e o de terceiros e, na medida em que cada uma dessas fontes participa na formação do capital, definem a estrutura do próprio capital.

C) Cálculo do Valor Residual: Para calculá-lo é preciso analisar cuidadosamente a situação do negócio ao final do horizonte de planejamento.

  • Valor de Liquidação: Justifica-se quando existem fatos que condicionam o ciclo de vida de uma empresa e, nesse caso, o adequado é estimar o valor de liquidação do investimento líquido ao fim do último período projetado.
  • Renda Perpétua: Estima-se o valor final aplicando-se a fórmula de perpetuidade; ou seja, trazendo para o valor presente um Fluxo de Caixa idêntico ao do período projetado, por períodos iguais e sucessivos, infinitivamente.

 

2) Método de Avaliação Por Múltiplos: Compara os dados com os de outras organizações, embora também possa ser feita entre parâmetros da empresa e os da média de mercado (considerando organizações similares). Para isso, é preciso obter uma amostra de empresas do mesmo segmento cujo tamanho, condição competitiva, perfil de risco e margens de benefícios semelhantes.

3) Método de Avaliação Mediante Opções: Tem métodos semelhantes ao Método Financeiro e se aplica na avaliação de projetos de investimentos cuja viabilidade depende da ocorrência (ou não) de fatos que geram incertezas na atualidade, como por exemplo a alternativa de expandir uma indústria.

 

 

Checklist Para Uma Boa Avaliação de Empresas:

 

  • Analise as vantagens do mercado em que a empresa atua e o perfil competitivo da organização.
  • Projete um cenário comercial e macroeconômico coerente com os objetivos oriundos da análise estratégica da empresa.
  • Elabore um modelo econômico e financeiro da organização que permita prever o Fluxo de Caixa gerado pelo negócio.
  • Calcule o custo médio ponderado do capital em função da estrutura ideal de financiamento.
  • Identifique os indicadores de desempenho e avalie como o valor econômico da organização é sensível a variações destes indicadores.
  • Avalie se os resultados obtidos são razoáveis, comparando-os com parâmetros de mercado de organizações semelhantes.
  • Num processo de fusão ou venda o mais importante é pensar no valor da empresa da mesma maneira como um investidor pensaria.

 

Autor: Julio Cesar S. Santos

Professor, Consultor e Palestrante. Articulista de Vários Jornais no RJ, autor dos seguintes livros: “Promoção e Merchandising Eficientes Para Pequenas Empresas” (Ed. Aprenda Fácil), “Qualidade no Atendimento ao Cliente” (Ed. Clube de Autores), “Estratégia: o Jogo Nas Empresas” (AGBook Editora), “Vendedor Profissional” (Ed. Aprenda Fácil) e Co-Autor de "Trabalho e Vida Pessoal - 50 Contos Selecionados" (Ed. Qualytimark, Rio de Janeiro, 2001). Por mais de 20 anos treinou equipes de Atendentes, Supervisores e Gerentes de Vendas, Marketing e Administração em empresas multinacionais de bens de consumo e de serviços. Elaborou o curso de "Gestão Empresarial" e atualmente ministra palestras e treinamentos "In Company" nas áreas de Marketing, Administração, Técnicas de Atendimento ao Cliente, Secretariado e Recursos Humanos. Graduado em Administração de Empresas, Especialista em Marketing e Gestão Empresarial, com MBA em Marketing no Mercado Globalizado e Complementação Pedagógica. Contatos: jcss_sc@yahoo.com.br / profigestao@yahoo.com.br (21) 2233-1762 / (21) 9348-4170 / Site: www.profigestao.blogspot.com www.facebook.com/juliocesar.s.santos Twitter: http://twitter.com/profi59 http://www.linkedin.com/profile/view?id=87927836&trk=tab_pro https://plus.google.com/u/0/